Av. Santa Rita de Cassia, 752 E (1º andar)
Farol - Maceió/AL - 82
9 9925.3431
Artes Marciais Filipinas
A História

A história da FMA começa muito antes da colonização espanhola. Nessa época era chamada de Kali e a técnica era focada em arma com lâmina. O Kali foi praticado largamente e todo o arquipelado filipino. Tanto homens nobres como cidadãos comuns eram praticantes da arte. É ensinado em escolas como em campos de treino com táticas militares e incluem Baybayin (alfabeto nativo) e medicida herbal.

Em 27 de abril de 1521 o navegador e querreiro Fernão de Magalhães foi derrotado pelo chefe guerreiro nativo Datu Kalipu Lapu (Lapu Lapu), fato registrado como o primeiro incidente onde o Kali foi usado contra invasores estrangeiros.

Depois de 40 anos deste evento, em abril de 1564 outro navegador guerreiro espanhol Miguel Lopez De Legaspi aportou em Abuyog Samar Leyte. Ele foi advertido sobre o desafortunado destino de Magalhães e então preferiu assumir uma aproximação não hostil para evitar uma batalha com os nativos. Fez amizade com o chefe guerreiro Malitik e pode testemunhar as mortais habilidades de combate dos nativos em uma demonstração. Depois viajou para outra ilha proxima, Sugbo e encontrou outro chefe guerreiro, Tupas, novamente tomou uma atitude não acressiva para evitar o confronto e pela segunda vez testemunhou as formidáveis habilidades de combate dos nativos.

O famoso chefe guerreiro Sultan Muhammad Dipatuan Kudarat liderou lutou contra os colonizadores espanhoiswho lead and fought Spaniards Colonizer. Durante seu reinado ele conseguiu se opor com sucesso aos espanhois que tentavam conquistar as terras de sua ilha, Mindanaom, no sul do arquipelago filipino.

Anos se passaram e os espanhois conseguiram colonizar o arquipelago através do uso da religião assim como com o uso de armas modernas como canhões e mosquetes. Os espanhois nomearam o arquipelago conquistado como FILIPINAS em honra ao rei Felipe da Espanha e começava a idade das trevas para o Kali, que em 1764 foi proibido para os nativos com a desculpa que eles estavam desperdiçando tempo com a prática ao invés de cuidar dos campos. No entanto os nativos sabiam muito bem que os colonizadores estavam com medo de que aquelas habilidades fossem usadas contra eles em uma revolução, já que os revolucionários estavam ganhando o apoio dos nativos. Os nativos passaram a praticar a arte de forma secreta, longe dos olhos vigilantes dos colonizadores.

Devido à algumas influências culturais dos espanhois, termos Eskrima, Estoque, Fraile e Kaliradman foram usados para referenciar o sitema de combate nativo. Também foi nesse período que os nativos desenvolveram as técnicas usando bastões que provou ser tão versátil quanto as técnicas com lâminas were used to regard the native fighting system. It is also during these period when the natives were able to develop the stick fighting techniques of the art, Which was proven to be as versatile as the bladed weapon techniques. Foram incorporados os movimentos de luta às danças conhecidas como “Sayau” ou “Moro-moro” que serviam de diversão para os colonizadores, mas também foram usadas para praticar a arte de combate.

Em 1873 o sistema de combate foi renomeada para ARNIS DE MANO, derivada da palavra Harness, que significa Couraça das Mãos, devido aos enfeites usados pelos dançarinos de Moro-Moro.

Em 1898 a colonização espanhola chega ao fim e os japoneses tentam invadir as ilhas durante a Segunda Guerra Mundial, mas os especialistas em combate das Filipinas foram chamados para lutar mais uma vez pela liberdade de seu país. O Arnis/Eskrima/Kali foi posto em teste no campo de batalha e provou mais uma vez sua eficiência contra os invasores japoneses. Nos dias de hoje, as artes marciais filipinas também são praticadas como esporte. Há competições na América do Norte, na Europa e na Ásia. São eventos promovidos por mestres como Remy Presas, Rene Latosa e Mat Marinas. Muitos torneios obedecem a regras e os atletas usam protetores e bastões de borracha, entretanto, há mestres que admitem o uso de bastões de rattam e o contato pleno.

A filosofia das artes marciais filipinas se caracteriza pela busca da harmonia do praticante com o meio que o cerca. O guerreiro deve adaptar-se às circunstâncias para poder vencer. Para que a vitória seja alcançada é preciso saber lutar em qualquer situação, mas o verdadeiro guerreiro deve vencer sem lutar, pois como disse Sun Tsu em “A arte da guerra”: “O mérito supremo consiste em quebrar a resistência do inimigo sem lutar”. “Bayanihan”, os espírito de fraternidade e camaradagem, que é uma característica do povo filipino deve nortear a conduta do artnista amarcial, pois todos os estilos se voltam para um estilo e um estilo se volta para todos os estilos.

Academia Carpa Dourada - ARMADO FMA DefTac Alagoas
+55 82 99925.3431